sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Comentários de FRINGE 1x05 "Power Hungry"


Episódio exibido dia 14 de outubro nos EUA

Fringe tem uma característica interessante, começa e termina muito bem seus episódios. Tanto as cenas iniciais, quanto as finais, sempre têm momentos impactantes, empolgantes e que deixam um gostinho de quero mais. Mas, durante o desenvolvimento das histórias, tem deixado a desejar. Em parte, pelo esforço excessivo que faz para explicar cada evento através da ciência, na tentativa dar respostas inteligentes para os acontecimentos. Só que acaba tendo efeito contrário. Ao invés de nos impressionarmos com a capacidade de personagens, como Walter Bishop, de sempre terem uma solução para os casos mais inusitados, acabamos entediados porque ficamos com a sensação de que estão repetindo o que já vimos na semana passada.

Leia mais...
    No episódio 1x05 Power Hungry, conhecemos Joseph Meager, que descontente consigo mesmo, encontrou num anúncio de jornal uma oportunidade para se tornar mais confiante, mais forte e retomar o controle da sua própria vida. Pura balela. Na verdade, ele caiu nas mãos de um cientista sem escrúpulos, Dr. Jacob Fisher, que o usou como cobaia para dar continuidade a um projeto (obviamente iniciado por Walter Bishop) que visava aumentar a capacidade em humanos de emitir impulsos eletromagnéticos, a fim de que se tornassem alvos fáceis de serem localizados por pombos.

    Meager se tornou uma ameaça ambulante, já que de forma descontrolada interferia em equipamentos eletrônicos, causando acidentes e matando pessoas, mesmo sem querer ou ter conhecimento do que realmente se passava com ele. A história em si até que era interessante, mas como eu disse no começo desse comentário, no desenvolvimento da trama deram mais importância à explicação científica de como os pombos podem rastrear humanos do que para a história do Dr. Fischer, por exemplo. Essa preocupação com detalhes irrelevantes está comprometendo o ritmo da série. Além disso, já cansou o argumento de que tudo começou com um experimento ou projeto de Walter Bishop. Bishop sabe tudo. Estou aguardando ansiosamente por um episódio em que aconteça algo que a ciência não possa explicar e que Walter desconheça qualquer referência sobre o assunto.

    Paralelamente, retomaram o gancho do último episódio, quando John apareceu na cozinha de Olivia. Para quem imaginava que esse seria um dos grandes mistérios da temporada, um balde de água fria. Bishop se encarregou de explicar que na verdade ela não está tendo visões. Segundo ele, quando Olivia mergulhou no tanque e “entrou na mente” de John, de certa maneira houve uma fusão, um compartilhamento de experiências e memórias. É como se Olivia carregasse com ela parte dos pensamentos de John. E vê-lo materializado é a forma como o seu cérebro encontrou exteriorizar essa experiência. Será que dessa vez Walter está errado? Por que John insiste em dizer que a ama e não a traiu? É tudo fruto dessa experiência ou John realmente ainda "existe" de forma concreta e essas "aparições" são mais reais do que imaginamos?

    A partir disso, “John” deu dicas sobre o caso de Meager para Olivia, além de levá-la a descobrir um porão onde ele guardava documentos que provavam sua ligação com investigações relacionadas ao “padrão”. E lá, ela também encontrou uma aliança de noivado, que de certa maneira indica as boas intenções que John tinha antes de todos aqueles acontecimentos do episódio piloto.

    A minha expectativa é que Fringe deixe de lado toda aquela enrolação científica e se concentre nos detalhes das histórias e nas relações entre os personagens. Saber mais sobre como os casos estão ligados e o papel de cada um na trama é mais interessante do que as pombas, vacas e aparelhos esquisitos.

13 comentários:

  1. Concordo plenamente com você Juliana. Durante o ' meio ' do episódio, as histórias de Fringe têm dado uma enrolada. Têm partes que, você consegue entender o que estão falando, mas já na cena seguinte... eu me perco completamente... Mas, isso deve ser algo que os roteiristas, acredito eu, devem consertar ao longo da temporada.

    ResponderExcluir
  2. O Walter não precisa nem deixar de ser o sabe-tudo, basta que não tenha sido ele que tenha iniciado as pesquisas sobre o caso da semana.

    Eu também já não aguento mais o Peter trabalhando apenas como "tradutor" das coisas que o Walter diz. É sempre assim: Walter fala alguma coisa, Olivia faz uma cara de quem não entedeu nada, Peter traduz e Olivia entende.

    Depois de fazer isso na cena, o Peter podia ir embora, ele já cumpriu o papel dele. O personagem tem muito mais potencial, esta sendo mal aproveitado.

    ResponderExcluir
  3. Amei o episódio ; D
    Fringe superou minhas expectativas.

    ResponderExcluir
  4. Juliana,

    acho que você está com uma expectativa errada em relação a Fringe. o lance dessa série é, ao que parece, justamente focar na ciência mesmo. O que esperava, que a tal visão fosse o espírito do cara? ai sim ficaria esquisito.

    Eu desisti da série no segundo episódio por achar que foi muito estardalhaço por um quase clone de arquivo X com toques de Lost.

    E acho que talvez possa ser aí que muita gente, inclusive você, pode se decepcionar.

    Pode até ser que eu esteja errado, mas não espere uma trama complexa, personagens que estão interligados por alguam razão, como acontece em Lost. Até porque, Lost é Lost!

    ResponderExcluir
  5. malucom,

    O problema não é focar na ciência. É SÓ focar na ciência e transformar Walter Bishop no cara que tem resposta para tudo. E repetir a mesma fórmula em todos os episódios. Não seria legal que eles enfrentassem um desafio sem saber com o que estão lidando?

    Não espero que todos os personagens estejam interligados, mas que eles não se transformem em coadjuvantes da própria história.

    Sobre o John, nem me passou pela cabeça que fosse um "espírito", mas achei a explicação rápida demais e um desperdício de uma trama que poderia render e muito.

    ResponderExcluir
  6. Aí é que ta Juliana! por essas coisas que você comentou e outras, que eu acho que Fringe teve marketing demais e originalidade de menos.

    ResponderExcluir
  7. Bom, concordo, em parte, com cada um de vocês...

    Certo que a trama está "firmada" na ciência, legal! Mas Walter não precisa gastar 5 min falando em como os pombos interpretam frequências, caramba, isso passa toda sexta no Globo Repórter(Bicho Repórter), não é?
    Então ele poderia apenas nos poupar de tanta informação desnecessária e da frase: "eu inciei um experimento que..." Pow, a gente já sabe: Tudo começou com os estudos e experiênias de Dr. Walter Bishop, pronto! Basta" hehe

    Concordo que Peter está perdendo o sentido pra série, ele ainda não fez NADA de relevante depois de ter tirado o pai do hospício. Mas vamos dar mais um tempinho...

    Bom, nesse último episódio aconteceram coisas interessantes. Com relação a John eu vejo assim: gostei da explicação de Walter. Mas a memória de John possivelmente ainda está "viva", neh? Lá na Massive Dynamic, right? Talvez eles ainda estejam se comunicando de alguma forma.

    Juliana, apesar de ter colocado a foto, você não falou nada sobre O Observador ter aparecido no prédio onde aconteceu o acidente...achei sinistro o olhar dele na dereção de Meager.

    Valew pessoal...

    ResponderExcluir
  8. Juliana, não se se estou chovendo no molhado e se estiver desculpe, mas depois que O Observador nos foi apresentado em The Arrival e rolaram todos aqueles comentários e tal eu fui assistir o episódio 02 (The Same Old) novamente só pra lembrar algumas coisas e exatamente aos 9'21" quando Phillip Broyles, Olivia e Peter saem da sala onde estava a garota do parto e estão indo ver o rescém nascido no corredor do Hospital, eis que nosso sinistro Observador está na recepção e dá aquela olhada para Phillip Broyles.

    Fiquei arrepiado...kkkkkkkkkkk

    Não se se alguém ja havia comentado isso, mas fica o registro, se quiserem conferir vejam The Same Old novamente

    Valew

    Abraços

    ResponderExcluir
  9. É, realmente muito repetitivo. Copia o arquivo X, mas o Arquivo X mantinha o charme, e nunca o mistério era explicado. Doutor Sabe-tudo já enchei. E realmente, aquela dos pombos não deu pra engolir, foi difícil. Fora a animação do GPS no computador, os pombos deviam estar de movendo a uns 300 km/h. ô produção meia boca !

    ResponderExcluir
  10. Eu to gostando bastante de Fringe.
    Nunca assisti outra série de ficção científica, mas como sou muito fã de lost resolvi arriscar. Acho que a série está crescendo e se continuar neste ritmo promete muitas surpresas.

    Não percebi essa queda no meio do episódio, ou pelo menos não me incomodou.

    ResponderExcluir
  11. Gabizinha Vidal Santos -SP17 de outubro de 2008 22:37

    Tb concrdo com vc juliana, mas eles devem ter uma carta na manga, com certeza vai acontecer alguma coisa q Wlater não vai ter respostas imediatas.. !

    ResponderExcluir
  12. Acho que a série está muito no começo, e estabelecer um padrão (com o perdão do trocadilho) no desenvolvimento dos episódios é uma boa maneira de surpreender ao se mexer nessa estrutura.

    O problema da série foi o excesso de marketing, para uma série que planeja um desenvolvimento lento.

    Na verdade, eu gostei de todos os episódios, apesar de seus plots não serem originais, e da fórmula usada em todos eles.

    E, a partir do quarto episódio, gostei mais ainda e achei este quinto muito bom.

    Como a série está só melhorando, acredito que em breve haverá alguma carta na manga sendo mostrada.

    ResponderExcluir
  13. Eu adoro Arkivo X e Lost, mas na boa, ficar só comparando toda hora enche o saco. Arkivo x acabou jah fazem quase 10 anos, tava na hora msm de abordarem os temas a la arkivo x, com a parte da ciencia, em uma série atual.
    Qto a lost, acho q não tem nem comparação. Lost eh única em sua história, e só for pra ficar achando relações entre as duas, então eh bom começar a achar essas relações em tudo qto eh série tb.

    Eu tô gostando de Fringe. Fringe por Fringe. Concordo q enche o saco Dr. Bishop jah ter feito, teorizado, ou simplesmente saber de todas as 'ciências' dos episódios. Nesse por exemplo, achei o cúmulo ele adivinhar, [sim, pq não passou disso] q um elevador cair, e sem ter motivos pra levar a acreditar q havia outra pessoa além dos q tavam lah dentro, e Almight Bishop deduzir q foi uma pessoa 'eletromagnetizada' q fez isso logo de cara.
    Qto as pombos, beleza, jah vi em algum programa falando isso deles, e acho q valeu a explicação.
    Peter tah um mero coadjuvante msm, oq eh uma pena.

    Tem suas falhas sim Fringe, mas tem muitas coisas q ainda fazem valer a pena assistir. E ainda eh cedo pra qq relação mais profunda com os personagens, eu acho, ainda dah pra resolver isso com mais episódios, mais histórias.

    Eu vou continuar vendo, com certeza.

    ResponderExcluir

Fale conosco! também pelo e-mail mandando sua sugestão ou crítica.

Comentários ofensivos ou que não tenham relação com o post serão recusados.