terça-feira, 31 de março de 2009

Produtor de Fringe fala das respostas que serão dadas antes do fim da temporada

Roberto Orci e Alex Kurtzman, que co-criaram a série Sci Fi Fringe com J.J. Abrams, disseram a Sci Fi Wire que a série vai começar a reponder várias questões à medida em que se aproxima o fim de sua 1ª temporada.

“Estamos perto de gravar os dois últimos episódios da temporada”, disse Orci em uma entrevista exclusiva com Kurtzman, seu parceiro de roteiro em Star trek e Transformers e em séries de tv como Alias.

Leia mais...

    Os cinco episódio finais da temporada – que retorna no dia 7 de abril (nos EUA) – irão trazer respostas? Sim, Orci prometeu, acrescentando: “A questão é quão rápido isso será feito.”

    “Isso é algo que discutimos muito com a Fox”, disse Orci. “Algumas vezes eles querem respostas, e então começamos a escrever episódios em que tudo é respondido, e eles retrucam, ‘Não, não precisa ser tão rápido!’ Portanto dosar a velocidade com que chegaremos lá é a chave da questão. Mas, definitivamente temos respostas que queremos muito dar, e isso é questão de quão rápido chegamos a elas.”

    Vocês vinham preparando o cenário sobre William Bell, o fundador da Massyve Dynamic e antigo parceiro de laboratórios, Walter Bishop, bem como o estranho homem careca (O Observador) e como o passado de Olivia, Peter e Walter se liga. O que vocês podem dizer sobre quanto irão revelar e quanto ainda manterão sob segredo?

    Orci: Bem, temos uma solução final… Essencialmente, uma das coisas que veio à tona quando o staff foi contratado – e temos que dar muito crédito ao incrível staff - era imaginar a questão mais básica, que é: “Por que o padrão está acontecendo? O que está causando essas coisas? O que é o padrão?” E nós realmente temos uma resposta para isso, mas ela deve demorar mais para vir.

    Mas, os interesses e alianças de vários personagens como William Bell – como a potencial conexão anterior dele com nossos personagens – ficarão mais claros e o lugar deles no mundo será mais definido.

    Antes do fim da 1ª temporada?

    Orci: Sim.

    Vamos descobrir quem é o Observador?

    Orci: Quem ele é? Não quem, mas vocês descobrirão o contexto do que ele faz parte.

    Alguns sugerem que ele seja de uma dimensão alternativa ou algo do tipo?

    Orci: Isso não te diz muita coisa, né? É uma resposta sem revelação...

    No piloto, o agente Scott (Mark Valley) perguntou a Olivia, “Por que Broyles (Lance Reddick) pediu para que você entrasse nessa unidade?” Essa questão será respondida no final da temporada?

    Orci: Sim...

    Há alguma inclinação de que exista algo mais acontecendo entre Olivia e Peter? Ou vocês não irão explorar essa direção?

    Orci: Bem, nós queríamos isso. Isso é obviamente algo que cruza sua mente, mas nós queríamos ter certeza de que isso valesse alguma coisa. E isso foi interessante para os 13 primeiros episódios, porque a conclusão natural é ‘Oh, veremos flertes entre nossos dois protagonistas.” Mas nós deliberadamente construímos o fato de que ela estava apenas sendo atormentada pela lembrança do seu primeiro amor ter acabado de uma forma horrivelmente errada. E quando esse tipo de coisa acontece, a última coisa que você vai fazer é flertar. Portanto, nós construímos um grande obstáculo que teria que ser ultrapassado ao longo da temporada. E nós meio que estamos jogando com isso em termos de quanto mais falta. Cada episódio que assistimos, perguntamos a nós mesmos, “Dá para acreditar que ela já está suficientemente recuperada para notar Peter?” E quando esse momento chegar, tomara que atinja todos nós ao mesmo tempo.

    Falei com John Noble algumas semanas atrás, e ele também disse que não queria ver o relacionamento Peter-Walter resolvido rápido demais, porque há ‘esqueletos’ demais ali para que eles se tornem parceiros logo. Vocês também tem esse sentimento?

    Orci: Sim. Nossa fórmula com eles sempre foi a de dar um passo à frente e dois para trás...

    Que tipo de ciência estranha vocês irão incorporar em futuros episódios?

    Orci: De chips na sua pele que o ligue a clonagem, a qual é real de uma forma que não era quando Arquivo X estava no ar. Temos um robô explorador em Marte. Roupas invisíveis. Temos… HAARP, o programa de pesquisas que lança lasers na ionosfera e pode enxergar o subsolo. Temos um possível mecanismo de controle do clima que foi usado pelos chineses durante as Olimpíadas... O que quero dizer é que enquanto tivemos a internet, não ficaremos sem histórias.

4 comentários:

  1. Não vejo a hora de Fringe regressar ehehe.
    Uma série com um potencial do outro mundo quase.
    É J.J.Abrams e basta :D

    ResponderExcluir
  2. Essa serie tem um potencial incrível, porém, está um saco! Todo episódio acontece algo estranho, eles resolvem, e fim ... sem respostas, sem rumo, uma série que não empolga ... só falta ficar igual a Heroes..

    ResponderExcluir
  3. concordo com o comentário do Edson, FRINGE não empolga....os (quase não existentes) ganchos não me fazem esperar ansioso pelo próximo episódio...alguns até dão sono.

    comentário maldoso: a Olivia Durhan e a Veronica(Portia di Rossi em Better Off Ted) tem as mesmas expressões/reações: viram a cabeça de lado, pra cima, "esbugalham" os olhos, tom de voz...confiram !!!!

    ResponderExcluir

Fale conosco! também pelo e-mail mandando sua sugestão ou crítica.

Comentários ofensivos ou que não tenham relação com o post serão recusados.