sábado, 19 de setembro de 2009

Fringe – 2x01 “A New Day in the Old Town”

Episódio exibido no dia 17 de setembro nos EUA


Inegavelmente irregular na primeira metade de sua temporada de estreia, Fringe só disse mesmo a que veio depois da sequência de episódios iniciada em “Ability”(1x14). Foi a partir dali que a série encontrou seu tom, e finalmente conseguiu conferir peso ao tema que explora encerrando sua jornada inicial com um dos melhores ganchos (se não o melhor) da temporada 2008/2009.

Leia mais...

    Assim, cercado de expectativas, esse 2º ano começa com uma missão e tanto: consolidar de vez a mitologia da série e estabelecê-la como uma produção com identidade própria, tarefa que este ótimo “A New Day in the Old Town” cumpre com louvor abrindo as portas para uma temporada que promete ser mais consistente (e mais divertida) que a anterior.

    Postergando de forma inteligente a revelação do que Olivia e William Bell conversaram em pleno World Trade Center – que na realidade alternativa escancarada no final da 1ª temporada permanece de pé -, o roteiro escrito por J.J. Abrams e Alex Kurtzman Akiva Goldsman privilegia a divertida tentativa de Walter Bishop (o ótimo John Noble) em se aproximar um pouco mais de Peter e dá foco principalmente no desenvolvimento de uma tensão que mostra Olivia Dunham (Anna Torv, mais segura no papel, diga-se) confusa depois de retornar à nossa realidade sem se lembrar exatamente do que aconteceu, e a Divisão Fringe prestes a ser fechada.

    Nesse cenário, conhecemos de forma breve, mas coerente, Amy Jessup, agente do FBI cuja curiosidade com o estranho acidente envolvendo o retorno de Olivia, catalisa uma atitude mais proativa em Peter, que além de contribuir decisivamente para a segurança de Olivia (ameaçada pelo soldado transmorfo), acaba garantindo, graças ao artefato recuperado, a continuidade da Divisão aliderada pelo sempre misterioso Philip Broyles.

    Sobre Broyles aliás, interessante ver uma nova nuance de sua relação com Nina Sharp, que surge apontando que a influência da Massive Dynamics no poder tem limites, o que por tabela abre novas e boas possibilidades para os próximos episódios. E por falar neles, destaco pelo menos duas situações que serão aguardadas por mim: 1) a revelação do grande articulador do mundo alternativo/paralelo que vê em Olivia uma ameaça perigosa, e, 2) descobrir as surpresas que o contato de Olivia com William Bell guarda.

    E você, o que achou desse retorno de Fringe?

    Outras observações:
    - Curioso como J.J. adora colocar referências bíblicas no que escreve, não? Nesse episódio, a cena que mostra a agente Amy catalogando as investigações da Divisão Fringe sugere que alguns dos fenômenos vistos na série teriam sido citados no livro sagrado. Será que a série vai explorar isso?
    - Duas homenagens a Arquivo X nesse episódio: a primeira logo início quando vemos Mulder e Scully na tv do apartamento invadido pelo soldado transmorfo, e a segunda quando um senador comenta que as investigações coordenadas por Broyles eram uma “indulgência no orçamento federal”, assim como eram a da antiga Divisão X, que obviamente é uma referência àquela da série de Chris Carter.
    - E o Observador, viu quando ele apareceu?
    - O que foi aquela cena no finalzinho do episódio na qual Peter é recepcionado por Walter, Astrid e a vaca(!) usando chapeuzinho de festa infantil, hein?
    - Depois de tanta especulação em torno da saída ou não de Kirk Acevedo da série, foi interessante ver que a solução do roteiro que mantém seu personagem de uma forma diferente dando a ele um papel teoricamente até mais importante que a do falecido agente.

19 comentários:

  1. Fringe voltou com tudo!

    O Walter conseguiu voltar mais engraçado ainda, ri muito com ele.
    Acredito que boa parte da temporada vai girar em torno da 'caça a Olívia', já que agora o Charlie Francis é o 'metamorfo'.

    (?)Não sei se a Amy Jessup é regular nessa temporada(?), mas adoraria vê-la como nova integrante da divisão Fringe, a personagem parece ser interessante.

    O piloto foi fantástico e essa temporada realmente promete.
    Seu comentário, mais uma vez, foi ótimo, Davi. Parabéns.

    ResponderExcluir
  2. BAITA retorno!
    Destaco o personagem do Peter, crescendo e se tornando ainda mais interessante dentro da trama...

    ResponderExcluir
  3. não tinha notado o observador, bom episódio mas esperava mais devido ao gancho do final da temporada passada. Agora achei a cena final totalmente prevísivel, tava na cara que o francis era o transmorfo, cena cliche de filmes/series que usam dessa idéia.

    ResponderExcluir
  4. caros , eu nao sei aonde baixar a segunda temporada. Alguem pode me dar uma luz.

    Obrigado,
    Marco Murad - RJ

    ResponderExcluir
  5. MPMurad, eu abixei por aki: www.filmeseseries.com/search/label/fringe

    ResponderExcluir
  6. Gostei do retorno de Fringe. Uma palavra sintetiza o episódio: solidez. Soube preparar bem o terreno para o que supostamente será explorado na 2ª temporada. Destaco o papel mais "atuante" do Peter, a reviravolta do "Francis", e o envolvimento da nova agente na Divisão Fringe! O segredo para o sucesso é simples, é saber trabalhar com a mitologia da série, que é o que foi feito nesse episódio!

    ResponderExcluir
  7. Gostei muito desse episódio. Só achei o trecho envolvendo o Charlie um pouco confuso. No geral, essa season premiere nos deixa com grandes esparanças para a temporada.

    Sobre o roteiro: não foi escrito por J.J Abrams e Akiva Goldsman?

    ResponderExcluir
  8. Ed, tem razão. Já fiz a correção ;)

    ResponderExcluir
  9. Excelente episódio. Muito melhor que a média de Fringe. Nme senti o tempo passar... aliás, foi menor que na 1a temporada, né? 42 minutos, padrão de séries, não os 48, 50 que costumava ser. Isso é ótimo, tomara que seja assim daqui pra frente.

    ResponderExcluir
  10. Esse observador estava difícil de reparar. Ainda mais que eu vi o episódio sem lembrar da presença dele na série. Por falar nisso Davi, você já tem alguma opinião teorizada a respeito do Observador?

    ResponderExcluir
  11. David, não entendo que o exército de soldados que pretendem entrar em guerra com nosso mundo seja de pessoas da outra dimensão, aquela do World Trade Center.

    Veja: A outra dimensão existe, mas é habitada por humanos como nós. É um mundo onde pequenas coisas que foram feitas de forma diferente resultaram em uma realidade totalmente diferente da nossa.

    Já o exército de soldados das trevas (vamos dizer assim, já que parece que estão formando um exército da luz, e a Olivia havia sido recrutada pra ele) é formado por seres de outro mundo, que viajaram milhões de quilometros. Eles sim querem dominar o nosso planeta, ou nossa realidade.

    Não acho que dá pra dizer que esse metamorfo seja humano, por exemplo.

    Só estou falando disso pois de início eu também achei que a iminente guerra seria entre essas duas dimensões e agora já não vejo mais dessa forma.

    ResponderExcluir
  12. Eu achei ótimo o retorno de fringe, ep muito bom =]

    ResponderExcluir
  13. O retorno foi massa!
    Só que teve uma coisa que ñ entendi!
    Quando o "metamorfo" troca a aparência com alguem, esse alguem fica com a aparência que o metamorfo tinha (Pelo menos foi isso que entendi!), mas no fim do epi. tinham duas pessoas com a aparência de Charlie! Se alguem souber explicar, por favor!

    ResponderExcluir
  14. Vi num site, que O OBSERVADOR aparece no minuto 0:55 à 0:58 passando em baixo da tela. Nao sei se é ou não, mas parece...

    FRINGE voltou, só fico preocupado com a concorrente que virá nessas semanas, CSI, Greys, The Office.

    Abs

    ResponderExcluir
  15. @Jackson Good, aquela experiência de episódios estendidos de 48 a 50 minutos ficou só na primeira temporada. Todos os episódios dessa segunda terão 42 min em média ;)

    @Felipe171, infelizmente nenhuma ainda e acho que tal qual o mistério por trás do monstro de fumaça de Lost, esse envolvendo o Observador só deve ser respondido bem mais para frente.

    @Alexandre, pode até ser, mas como vimos pela cena do transmorfo na máquina de escrever que há algo ou alguém na outra realidade coordenando aquele esforço para eliminar a Olivia, por enquanto vou seguir acreditando que os antagonistas estão por lá. Quanto à natureza do transmorfo, também não diria que ele é necessariamente humano ainda que guarde todas as características de um. Vamos ver que surpresas essa subtrama reserva com ele disfarçado de Charlie.

    @Lucas, pelo que entendi, a vítima de fato assumia a aparência do transmorfo, mas pouco depois voltava a ter a sua própria. Foi assim que ocorreu com o primeiro cara. Quando achado, ele tinha a aparência do cara do carro que colidiu com o da Olivia, mas já no necrotério tinha o rosto do homem calvo. Assim, achei normal que tenhamos visto dois Charlies no fim do episódio.

    Abraço a todos!

    ResponderExcluir
  16. É Davi, vc está certissimo!
    Por isso que Amy e Peter conseguiram identificar quem eles estavam atrás, pois eles tinham que perseguir uma pessoa igual a do necrotério!
    Agora entendi!
    Valeu!
    ;D

    ResponderExcluir
  17. Adorei a estréia da 2ª temporada!!!

    Essa do Charlie transmorfo indo à caça da Olivia pois ela é uma ameaça a algo na realidade alternativa, me lembrou Alias, a história da fake Francie, que matou a original no restaurante e assumiu o lugar dela para cumprir uma missão: matar Sydney. Só que em Alias o "clone" da Francie era humano (uma agente especificamente) que foi cobaia do Projeto Helix (mutação genética).

    Já a natureza do cara da outra realidade em Fringe, podemos dizer que é duvidosa...

    ResponderExcluir
  18. Putz o Charlie morreu... Aff tava gostando dele, aquela historinha que ele conto pra Olivia foi massa..hsuahs

    No resto adorei, foi na expectativa que esperava...

    ResponderExcluir

Fale conosco! também pelo e-mail mandando sua sugestão ou crítica.

Comentários ofensivos ou que não tenham relação com o post serão recusados.